No geral, ao visitar sítios na Internet que fornecem vários serviços, entende que o correto tratamento da sua privacidade e dos seus dados pessoais depende da credibilidade do fornecedor de serviços (por exemplo, o proprietário do sítio Web).


1::Software antivírus.
3::Proteção de dados desde a conceção.
2::Criptografia

Infelizmente, esta resposta é incorreta. Um antivírus é um software que protege o seu computador contra software mal-intencionado. Embora, em alguns casos, um antivírus possa protegê-lo contra códigos malévolos que possam afetar a sua privacidade (por exemplo, software espião), este não representa uma decisão relativa à privacidade que possa ser integrada na tecnologia. A estratégia que integra a privacidade na tecnologia é chamada proteção de dados desde a conceção, o que significa que as salvaguardas em matéria de proteção de dados (como, por exemplo, a «minimização» do tratamento de dados pessoais e a «pseudonimização» de dados pessoais o mais rapidamente possível, etc.) estão a ser desenvolvidas em produtos e serviços desde a fase mais incipiente de desenvolvimento de software.  A necessidade da proteção de dados desde a conceção (note-se que o conceito de privacidade desde a conceção pode ser igualmente respeitado em vários textos) é igualmente abordada no Regulamento geral sobre a proteção de dados 2016/679 (o regulamento entrou em vigor em 24 de maio de 2016 e será aplicável a partir de 25 de maio de 2018). Para mais informações, consultar o relatório da ENISA (Agência da União Europeia para a Segurança das Redes e da Informação) em matéria de proteção da privacidade e dos dados desde a conceção: https://www.enisa.europa.eu/activities/identity-and-trust/library/deliverables/privacy-and-data-protection-by-design

 

Com efeito, esta é a resposta correta. A proteção de dados desde a conceção é uma estratégia que promove a privacidade garantindo que as salvaguardas em matéria de proteção de dados (como, por exemplo, a «minimização» do tratamento de dados pessoais e a «pseudonimização» de dados pessoais o mais rapidamente possível, etc.) estão a ser desenvolvidas em produtos e serviços desde a fase mais incipiente de desenvolvimento de software. A necessidade da proteção de dados desde a conceção (note-se que o conceito de privacidade desde a conceção pode ser igualmente respeitado em vários textos) é igualmente abordada no Regulamento geral sobre a proteção de dados 2016/679 (o regulamento entrou em vigor em 24 de maio de 2016 e será aplicável a partir de 25 de maio de 2018). Para mais informações, consultar o relatório da ENISA (Agência da União Europeia para a Segurança das Redes e da Informação) em matéria de proteção da privacidade e dos dados desde a conceção: https://www.enisa.europa.eu/activities/identity-and-trust/library/deliverables/privacy-and-data-protection-by-design

 

Infelizmente, esta resposta é incorreta, embora a criptografia possa ser integrada numa tecnologia como uma decisão relativa à privacidade. As técnicas criptográficas podem ser consideradas como uma forma de tecnologia de reforço da privacidade (PET), no sentido de que asseguram a confidencialidade dos dados. No entanto, a criptografia é apenas um exemplo de medida técnica que pode promover a privacidade. A resposta correta é a proteção de dados desde a conceção, que é uma estratégia que promove a privacidade garantindo que as salvaguardas em matéria de proteção de dados (como, por exemplo, a «minimização» do tratamento de dados pessoais e a «pseudonimização» de dados pessoais o mais rapidamente possível, etc.) estão a ser desenvolvidas em produtos e serviços desde a fase mais incipiente de desenvolvimento de software. A necessidade da proteção de dados desde a conceção (note-se que o conceito de privacidade desde a conceção pode ser igualmente respeitado em vários textos) é igualmente abordada no Regulamento geral sobre a proteção de dados 2016/679 (o regulamento entrou em vigor em 24 de maio de 2016 e será aplicável a partir de 25 de maio de 2018). Para mais informações, consultar o relatório da ENISA (Agência da União Europeia para a Segurança das Redes e da Informação) em matéria de proteção da privacidade e dos dados desde a conceção: https://www.enisa.europa.eu/activities/identity-and-trust/library/deliverables/privacy-and-data-protection-by-design

 


A melhor maneira de garantir a sua privacidade seria que os fornecedores de serviços integrassem decisões relativas à privacidade diretamente na tecnologia em si e não apenas que estabelecessem as suas obrigações gerais nos documentos jurídicos.

 

A integração de decisões relativas à privacidade na tecnologia dá pelo nome de...